HISTÓRIA

Esta associação existe há trinte anos e nasceu com a construção de uma igreja dedicada à Maria Porta do Céu, devoção trazida do Canadá pelo fundador Sr. Denis R. L. Bourgerie. O terreno foi doado pela Prefeitura Municipal de Campinas em 1986 e ele foi construída com a benção do Arcebispo Dom Gilberto Pereira.

Relato do fundador

Conheci a devoção de Maria Porta do Céu em uma igreja, quando vivia no Canadá.

Foi uma experiência extraordinária, pois deste ícone jorrava um bálsamo perfumado onde fui ungido. Fiquei extremamente tocado, sensibilizado e meu amor por Ela cresceu ainda mais dentro de mim.

Quando voltei ao Brasil eu e minha esposa Dra. Suzel A. Frem Bourgerie, nos propusemos a construir uma Igreja para Ela. 

Jamais poderíamos imaginar o que o plano de Deus faria um dia nesta igreja. Voltando nossos olhos há alguns anos, só podemos agradecer… agradecer… a Deus e à fiel e amorosa Mãe Maria Porta do Céu. 

Quão extraordinária é a pedagogia de Jesus e da Virgem Maria para nos fazer aprender o que é ser não só operário do Reino de Deus, mas filho e herdeiro de suas promessas. Digo isso porque, quantas vezes, desanimados pelos empecilhos, com lágrimas na alma e nos olhos, atravessando o deserto da incerteza e julgando nessas horas tratar-se da construção um simples sonho humano, sem aval divino, pensamos em desistir desta obra. Mas, sempre nos dias mais difíceis, quando o desanimo parecia invadir cada centímetro do nosso ser, encontrávamos na porta de casa, ao cair da noite, alguma carta ou bilhete de alguém nos incentivando e nos consolando.

E quem estava junto? Uma foto da Virgem Maria! Para nós era como se Ela mesma estivesse ali, e viesse pessoalmente para nos dizer: “Coragem! Não desanimem meus filhos, pois é do meu agrado e do agrado do meu Filho! Continuem! ” E foi desta forma, com luta e fé, que continuamos e conseguimos erguer e concluir a primeira igreja dedicada à Maria Porta do Céu.

Tenha você uma história de milagres, aventure-se com Deus, e aguarde as bênçãos e as redes cheas. Lembre-se! Os grandes cardumes só estão em alto mar!

História de Maria Porta do Céu:

Este ícone que se chama Maria Porta do Céu foi pintado em 1920, no Monte Athos na Grécia, a partir do original que estava em Constantinopla, na Turquia, desde o século VI. Durante a Crise das Iconoclastas do século VIII, um pagão invadiu a casa da dona deste ícone para destruí-lo com um golpe de sabre. O golpe atingiu Nossa Senhora na face, que imediatamente jorrou sangue. Assustado, este homem recuou e a dona da casa, para proteger o ícone, jogou-o no Mar Egeu. 

Ele chegou milagrosamente na Península do Monte Athos, flutuando nas águas, e foi recolhido pelos monges, que o colocaram dentro do coro da igreja.

No dia seguinte, ele foi encontrado na porta do mosteiro, e, novamente foi recolocado dentro do coro da igreja. No outro dia, foi reencontrado na porta, e assim nos dias subsequentes. Mas, por que na porta? Nossa Senhora explicou aos monges que seu nome era “Porta do Céu” e que Ela queria estar realmente na porta da Igreja, para chamar Seus filhos a conhecerem Jesus, Salvador de todos proteger com Sua Presença este lugar!

No dia 21 de novembro de 1981, dia da apresentação de Nossa Senhora ao Templo, Ela começou, em Montreal, no Canadá, a derramar abundantemente um bálsamo perfumado a partir uma réplica deste quadro. Este bálsamo saía da estrela que Ela carrega no ombro direito.

A estrela simboliza o Espírito Santo.  Se o primeiro lugar é dado a Jesus no centro do ícone, podemos notar que a Sua mão direita está colocada no peito de Maria.

Isso significa que todas as graças que Ele quer nos dar, passa pelo coração de sua Mãe.

Já a mão direita de Maria, aponta para seu Filho, fonte de todas as graças, e o comprimento de seus dedos, anormalmente longos, significam as inumeráveis graças que Ela quer nos dar.

A cópia do ícone original, começou, há 40 anos, a derramar um bálsamo perfumado.

Uma das características deste bálsamo é o de dar, às pessoas que são ungidas por este óleo, o gosto pela oração.

Maria Porta do Céu recomenda às famílias de serem também “portas do céu”.  Foi perguntada à Virgem de Medjugorje, qual era o papel deste ícone e o sentido de seu óleo maravilhoso.

Ela respondeu através d’Yvan:

“Este ícone é bem mais importante que as aparições porque todo mundo pode se beneficiar dele, e o óleo significa a Misericórdia para todos”. A mensagem está clara. O óleo é para despertar um ardor novo nos corações de todos os cristãos.

Como Nossa Senhora Desatadora os Nós chegou ao Brasil?

Denis Bourgerie encontrou Nossa Senhora Desatadora dos Nós pela primeira vez, há 15 anos, na cidade de Buenos Aires, Argentina. Vendo o quadro exposto em uma igreja da periferia, sentiu-se profundamente tocado. Ele, que sempre amou a Virgem Maria, ficou fascinado com o significado da mensagem que Ela passa a quem A contempla.

O Encontro do fundador com Nossa Senhora Desatadora dos Nós Impactante! Eu não parecia estar neste mundo. A cena que vivi naquele momento me paralisou. Eu estava em pé diante Dela, imóvel, fitando a mais bela e formosa de todas as mulheres. Não tinha nada a dizer, porque estava fascinado por Ela, pela fita que Ela tinha nas mãos e a mensagem ali revelada.

O que significava aquela fita? Pedi explicações a uma pessoa ao meu lado, que me respondeu: “A fita é a sua vida, que tem nós, e a Virgem Mãe está mostrando que pode desatá-los!”

Naquele momento, vi minha vida nas mãos Dela, e senti que um dia seria chamado a mostrar ao Senhor a fita da minha vida. Não somente um trecho, mas ela inteira, por completo, de ponta a ponta, sem esconder nada. Sim, mostrar a fita da minha vida desde o primeiro sopro até o último. Mostrarei a Deus o que fiz da vida que Ele me emprestou, desfazendo o rolo em que está gravado tudo que fiz, disse, pensei e deixei de fazer…

A fita da minha vida, sem sombra de dúvida, será examinada meticulosamente à luz divina. Misericórdia, Senhor! E então a misericórdia se faz quando Ele permite que a Virgem Maria, minha  e Sua Mãe, tome em Suas mãos a fita da minha vida e, com a dedicação de uma Mãe apaixonada ao extremo, passe serena e poderosamente a desatar os nós que nela existem, tornando-a verdadeiramente digna.

Meu olhar passou da contemplação de Sua face ao emaranhado de nós que carrego. Confesso que sempre amei Nossa Senhora, à qual fui consagrado com um mês de vida, na Igreja Notre-Dame de Paris, na França, levado por minha mãe, Jeanne. Já tinha visto muitas imagens e estátuas da Virgem Mãe de Deus, em diversos países, porque sempre entrei com prazer em igrejas, sobretudo nas marias, mas nunca havia contemplado algo semelhante.

Que esplendor ver a santíssima Virgem Mãe trabalhando com humildade e afinco indescritíveis por todos aqueles que se dirigem a Ela, e Lhe entregam os nós de sua vida. E assim vi meus nós se desenrolarem sob Seus olhos, aplicados a desatar tanto os meus como os daqueles que, a Seus pés, suplicam por ajuda. Naquele momento, minha vida passou diante de mim como um filme…

Como piloto que fui, eu me perguntava, ali diante Dela, como minhas licenças para pilotar avião e helicóptero e minhas milhares de horas de voo poderiam ter me ajudado a entrar naquele céu que eu riscava. Tive uma vida plena de aventuras pelo mundo, amava os riscos, e ali percebi que nunca me arriscara verdadeiramente por Ela. Das dunas do Saara ao tapete verde da selva amazônica ou ao branco da neve do Canadá, nada me detinha quando se tratava da paixão pela aviação. Agora eu estava ali, diante de Maria, sentindo que Ela desatava os nós que eu carregava desse meu passado. Creio ter sido, naquele momento, que Ela verdadeiramente atou meu coração ao Dela.

Precisava fazê-La ser conhecida no Brasil, afinal quem não tem algum nó a desatar, um problema que não conseguimos solucionar e que nos ata e nos impede de cantar as maravilhas de Deus? 

Então, impulsionado, sem dúvida alguma, pelo Espírito Santo e a Virgem Maria, eu fui à luta.

Após grande batalha burocrática, fui presenteado pelo sacerdote responsável por essa devoção na Argentina, com uma réplica do quadro de Nossa Senhora Desatadora dos Nós (este quadro se encontra na Igreja Maria Porta do Céu, ao lado da Igreja Nossa Senhora Desatadora dos Nós.)

Com o passar do tempo esta capela começou a ser cada vez mais visitada por inúmeros fiéis que a ocupavam até a rua. Estava por demais pequena.

Denis Bourgerie

Fundador da Igreja de Nossa Senhora Desatadora dos Nós.

Uma boate transformada em Igreja…

Localizada em Campinas (SP), a Igreja Maria Porta do Céu começou, dia após dia, a ficar repleta de fiéis, porque as missas, as homilias, os cantos gregorianos, as liturgias… era tudo extremamente belo. De repente, comecei a perceber crianças, jovens e idosos nos jardins, e a comunhão era dada até na rua durante as missas, porque não havia mais lugar para acolher tantas pessoas dentro da capela. Isso me doía a alma profundamente.

O que fazer? Não havia meios de ampliar a igreja. Eu tinha no peito um grande nó a desatar.

Foi quando encontrei Nossa Senhora Desatadora dos Nós. Diante d’Ela, entreguei-me por completo em Suas mãos, meu passado, meu presente e meu futuro, particularmente aquele nó que carregava no coração. Pedi a Ela que ampliasse de alguma forma a capela, que atraía centenas de pessoas a Seu Filho Jesus.

Depois desse encontro inesquecível que tive com minha Mãe, Nossa Senhora Desatadora dos Nós, na Argentina, voltei ao Brasil e minha vida nunca mais foi a mesma. Alguns meses se passaram, até que um dia, em Campinas, fui procurado por uma senhora que frequentava a igreja. Ela me perguntou se eu estava interessado em comprar uma imensa boate, a maior da região, que fora erguida em frente à igreja, aproximadamente dois anos antes. Essa senhora era a esposa do proprietário.

A boate era um grande nó a desatar para nós, porque todo dia, antes do início das missas, pela manhã, eu recolhia pelos jardins da capela, dezenas de garrafas de bebida, além de seringas e preservativos. O preço dessa boate era extremamente alto, principalmente porque não tínhamos dinheiro algum. Sem dinheiro, como levar adiante as negociações? Não era possível!

Eu disse àquela senhora que fecharíamos negócio se o marido dela nos oferecesse a boate de graça, porque não tínhamos a possibilidade de comprá-la. Ela respondeu: “Meu marido nunca aceitará doar a boate a vocês!”

As conversas foram concluídas e os meses se passaram… Muitos compradores tentaram, sem sucesso, adquirir a boate. Na verdade, era Nossa Senhora Desatadora dos Nós quem estava cuidando das negociações. Depois de oito meses, voltamos a conversar com o dono e conseguimos comprar a boate no dia 8 de março. Compramos, sem dinheiro, em muitas prestações, um templo imenso consagrado ao prazer, mas com a certeza de que Ela não falharia conosco, porque já tinha desatado esse nó no céu e na terra.

Como esquecer a primeira vez em que entrei naquele lugar? Absolutamente impossível não me lembrar das gaiolas de ferro suspensas, onde mulheres dançavam a noite toda. O primeiro trabalho foi descer as gaiolas e destruí-las. Depois, dezoito caminhões de terra foram necessários para preencher a pista de dança. No primeiro andar, destruímos os camarotes de vidro preto, que escondiam as pessoas que antes alimentavam a privacidade de seus vícios. Desmanchamos um balcão gigantesco, que era o bar.

Desse lugar fizemos, conduzidos por Nossa Senhora Desatadora dos Nós, uma Igreja magnífica, derrubando as paredes, remodelando, reconstruindo, embelezando, e continuamos fazendo isso até hoje. E a grande festa mudou de endereço. O arquiteto que construiu aquela boate, inspirado no estilo greco-romano, não sabia que de fato estava construindo a estrutura de uma igreja excepcional. Modificar uma boate para transformá-la em igreja não me incomodou, porque inumeráveis templos pagãos, tanto na França quanto na Itália, também foram transformados em igrejas no decorrer dos séculos.

Outro milagre é que essa gigantesca boate, que se transformou em um gigantesca Igreja, começou a encher, encher, e hoje começa a ficar pequeno para tantos fiéis.

Assim, o plano de amor de Nossa Senhora Desatadora dos Nós continua a se concretizar dia a dia, porque ali visitam fiéis de todo o Brasil, mesmo dos estados mais remotos, e também peregrinos da França, do Canadá, da Suíça…

Os muros da igreja estão cobertos de ponta a ponta com faixas espontâneas de agradecimento por graças recebidas, mescladas entre as flores de primavera. 

Fiz isso para Ti, Mãe, depositando a argila de minha vida em Tuas mãos, naquele dia em que Te descobri, porque experimentei e sei como são fortes, inabaláveis e poderosos Teu amor e Tua intercessão, e que o coração adorável do Teu Filho não Te nega nada.

Através do sim de minha vida, nunca me neguei a Te levar pelo mundo e a testemunhar o Teu poder de desatar os nós de nossa vida. Por Ti fui à África, aos Estados Unidos e ao Canadá, no Líbano, na Suíça e na Alemanha e aonde me chamares. Minha maior aventura hoje é ir para onde me levares. Minha paixão é descobrir o tamanho da Tua paixão por mim, Teu soldado, Teu amigo, Teu filho. 

Denis Bourgerie

Fundador da Igreja de Nossa Senhora Desatadora dos Nós.

O Quadro

Reflexão do quadro de Nossa Senhora Desatadora dos Nós A Santíssima Virgem Maria, Nossa Senhora Desatadora dos Nós, foi pintada de forma extraordinariamente bela, e seu quadro encontra-se na Igreja de S. Peter am Perlach, na cidade de Augsburg, na Alemanha, desde
o ano 1700.

O pintor se inspirou na meditação de Santo Irineu sobre o poder da Virgem Maria em desatar os nós de nossas vidas e, a partir daí, surgiu a devoção à Nossa Senhora Desatadora dos Nós, que se perpetua até hoje com grande força e poder.

Santo Irineu, bispo e mártir em Lyon, na França, no ano de 208 afirmou: “Eva, por sua desobediência, atou o nó da desgraça para o gênero humano; ao contrário, Maria, por sua obediência, o desatou”.

Santo Irineu através desta meditação traz à luz da compreensão humana que existem nós em nossa vida, como consequência do pecado original gerado por Eva. À Virgem Maria, graças a Sua obediência e Suas virtudes, foi concedido o poder de desatar estes nós, dificuldades de toda sorte que não conseguimos resolver por nós mesmos. Contemple este quadro não somente como uma bela pintura a ser vista como outras em um museu. Faça-o muito além dos olhos, com o coração e a ternura da sua alma, porque além de ter sido pintado sob uma
inspiração divina, revela, ali, promessas extraordinárias de Deus para você, uma declaração do amor divino ao seu coração, gerando esperança em nossas vidas tão cheias de nós a desatar.

Em cada detalhe você irá descobrir e se deslumbrará como Nossa Senhora Desatadora dos Nós quer desatar os seus nós, trazendo Consigo a corte celeste, Seus Anjos colaboradores, agindo sob a força e o poder do Espírito Santo.
Neste quadro, nos é dada a oportunidade de ler uma carta de amor de uma Mãe para um filho! E este(a) filho(a) é você.

Encontre na novena de Nossa Senhora Desatadora dos Nós a explicação completa de cada detalhe do quadro clicando AQUI.

×

Powered by WhatsApp Chat

× Como posso te ajudar?